OS DRAGOES

Caros Amigos leitores,

Tenho a vos dizer que devido a falta de saude, desde o mês passado, não me foi possivel preparar e publicar os artigos que realmente eu desejava vos apresentar. Porém, agora ,sentindo-me um pouco melhor, tento e tentarei a vos brindar com dois artigos mensalmente. Peço constantemente as vossas preces ao nosso Criador, para que Ele me dê a tão almejada saúde de que tanto necessito. Um muito obrigado pela vossa compreensão.

 

 

 

                                                                OS DRAGÕES

 

Caros Leitores, tenho a satisfação em vos apresantar um artigo onde eu vos falo um pouco sobre Os Dragões. Espero que gostarão.

Neste pequeno artigo, vou vos falar um pouco sobre os Dragões. Pois, como devem saber , em vários países do nosso Globo, encontramos pessoas que adoram viver com os Dragões, as Fadas, os Elfos e outros seres semelhantes. Encontramos também pessoas que adoram conviver com os tais seres, e que sempre procuram empregar seus poderes mágicos. Mas o que são realmente os Dragões ? Existem ou não existem ? Como se sabe, no mundo Ocidental, a palavra Dragão vem do grego- drakon e do latim draco. A palavra Drakon significa ver, olhar. A razão é que nas legendas, os Dragões passavam a maior parte do seu tempo a observar, quer seja um tesouro, quer seja um território ou então as donzelas, supostamente prisioneiras. Desde os tempos imemoriais, os homens começaram a enregistar as coisa, e, sobretudo, os Dragões eram geralmente sempre mencionados. Um símbolo de Alquimia era o Dragão ou a Serpente alada, como um dos seus numerosos símbolos secretos. Sabemos que o símbolo corrente do trabalho alquímico espiritual era o Dragão ou a Serpente, tendo sua cauda introduzida na boca, que significa um círculo infinito da eternidade.

Jung escreveu que os alquimistas consideravam o Dragão alado como sendo fêmea, e o Dragão desprovido de asas, como sendo macho. Jung também considerava  » A água,  » Nos Sonhos E Análises, » como um espírito inconsciente ou o Dragão da água de Tao. Este Dragão da água do Tao, simbolizava o Yang abraçado no Yin, ou o equilíbrio e tornou-se espírito. No simbolismo taoista chinês, o Dragão era tido como sendo a < < Via >> , isto é, aquela que traz as mudanças eternas. Ele se encontrava muitas vezes representado como o guarda da pérola incandescente, sinónimo da perfeição espiritual. Através do mundo, os Dragões e as Serpentes são símbolos da fonte de inergia, da vida, da água, da cura, dos poderes, dos oráculos, da fertilidade e da benção meternal. – As histórias que insistem sobre o facto de que os Dragões tinham um fraco para as virgens, significavam que a busca da sabedoria e da verdadeira inocência do espírito constituiam traços que atraiam os seres dragoneiros. O Dragão tornou-se num símbolo representando o mal e o demónio cristão, unicamente depois de que a Igreja Católica tomou o poder, após o édito de Constantino em 325 da nossa Era. Ao instilando profundos medos, particularmente as punições eternas, os padres católicos e os chefes da Igreja, organizaram-se, para tomarem o controle dos dirigentes e dos governos. Os pagãos que recusavam a escutar os ensinos da dita e falsa Igreja Cristã, refugiaram-se na clandestinidade, vivendo com o medo da persecução e da morte, durante vários séculos, até que eles receberam, de novo, a liberdade de seguirem suas antigas crenças e costumes, e de falarem livre e abertamente, e de poderem contactar os poderosos seres astrais que os ajudavam nas suas crenças.

 

 

Do Vosso, O  PUPILO  DAS  MUSAS.

Laisser un commentaire