BEN SIRA

 

Caros Leitores,Neste presente artigo, tenho muito prazer de vos falar um pouco de BEN SIRA, que viveu em Jerusalém, no início do século II antes de Cristo. BEN SIRA, do seu verdadeiro nome, JESUS BEN SIRA, ou Serácide, passou quase toda a sua vida em Jerusalém. Suponha-se que ele escreveu o seu Livro por volta de 180 a.C, e antes da trágica situação, que começou com a destituição de Onias III, filho de Simão, em 174 a.C. , na altura da perseguição de Antíoco Epifánio , ( 175 a.C) , e da sublevação dos Macabéus em 167 a.C. BEN SIRA nos fornece certos dados sobre o seu trabalho, como se pode verificar no Capítulo 51: 23-28, onde ele nos fala da sua Escola, e convida os ignorantes a se inscreverem, para aquisição gratuita da Sabedoria. O lugar onde BEN SIRA escreveu o seu livro, foi na sua própria casa, onde ele estabeleceu uma Escola de formação sapiencial. Pois. o helenismo foi uma forma nova de vida, e que a expansão ocorreu no Médio Oriente, após a morte de Alexandre Mágno. O periodo helenístico caracterizava-se pelo cenáculo de cultura, e também pelo sincretismo religioso, que sempre procurava derrogar as fronteiras de raças e de religiões, com o único objectivo de glorificar as forças da natureza, e, também, pela adoração do homem. Em face do dinamismo e da crescente expansão do helenismo na própria Palestina, então o judaísmo sofreu a ameaça da sua própria existência. Então, em face disto, BEN SIRA, embora a sua grande abertura de espírito, face a certos valores do mundo grego, toma consciência de que os novos movimentos de ideas e de costumes se enfrentavam a algumas exigências fundamentais da religião judáica. Em face disto, no capítulo 2 e versículos 12-14, ele deixa uma advertência : < Ai do coração pusilânime, e das mãos desfalecidas, e do pecador que segue dois caminhos! Ai do coração fraco, pois não acredita; por isso não terá protecão ! Ai de vós que perdestes a perseverança : que fareis, quando o Senhor vos pedir contas ? Foi a partir desta altura que ele, e os outros judeus piedosos, pressentem o fim da coexistência pacífica entre o helenismo e o judaísmo. Após a passagem da Palestina da dominação Egípcia, para uma outra mais hóstil, a dos Seleucidas de Antióquia da Síria, com Antíoco III ( 223-187 ) e o seu sucessor Seleuco IV ( 187-175 ), os judeus tiveram certos previlégios, sobretudo com a contribuicão nas despesas do culto no Templo. Porém, com a chegada de Antíoco Epifánio ,( 175-164 ) que por causa do jogo de influências, Onis III foi retirado do cargo de Sumo Sacerdote, e então surgiu uma grande perseguição contra os seus opositores. Pois, a tal situação política e cultural, iria provocar o levantamento judáico, encabeçado pelos Macabeus. E foi devido a desastrosa invasão do helenismo, que BEN SIRA escreveu o seu livro, com o único objectivo de defender o património religioso, histórico e cultural do judaísmo, relativo a concepção de Deus, do Mundo e da eleição previlegiada do povo de Israel. BEN SIRA tenta, pois, neste livro, convencer os seus compatriotas de que realmente possuem na lei revelada, a autêntica sabedoria, e que por isso, jamais deverão capitular face ao pensamento e à Civilização dos gregos. A partir desta altura, ele, e outros judeus piedosos, pressentem o fim da coexistência pacífica entre o helenismo e o judaísmo. Após a passagem da Palestina da dominação Egípcia, pela uma outra mais hostil, dos Seleucidas de Antióquia da Síria. Porém, com a chegada de Antíoco Epifânio ( 175-164 ) que por causa do jogo de influências, Onias III foi retirado do cargo de Sumo Sacerdote, e então surgiu ima grande perseguição contra os seus opositores. Pois, a tal situação política e cultural, provocaria o levantamento judáico encabeçado pelos Maccbeus. Devido a desastrosa invasão do helenismo, que BEN SIRA escreveu, com o único obejectivo de defender o património religioso, histórico, sapiencial e cultural do judaísmo, relativo à concepção de Deus, do mundo e da eleição previlegiada de Israel. Ele tenta pois, neste Livro convencer seus compatriotas de que realmente possuem na Lei Revelada, a verdadeira e autentica sabedoria , e que por isso, nunca deverão se capitular face ao pensamento e á Civilização dos Gregos.

 Sinceramente sou, O PUPILO DAS MUSAS

Laisser un commentaire