A ORIGEM DA VIDA NO SISTEMA SOLAR.

( Caro leitor, Este artigo se encontra tambem escrito em Frances e em ESPERANTO )

Será que Jupter poderá nos desvendar as origens da Vida no Sistema Solar?

No início do mês de Agosto, a NASA ( Agência Espacial Americana ), enviou, rumo ao Jupter, a missão JUNO, uma viagem de cinco anos, com o objectivo de realizar prospeção do Sistema Solar, para ajudar a encontrar origens da Vida no nosso Sistema Solar.

A Senhora Adriana Ocampo, responsável pela tal missão, deixa-nos saber que a NASA quer desvendar o papel exercido por Jupter na evolução e na origem do Sistema Solar e da Terra.

Ela nos deixou saber que o seu campo gravitacional conseguiu capturar as moléculas de hidrogénio e de oxigénio, que com suas combinações se formou a água, cujos ingredientes conseguiram o desenvolvivento dos Oceanos e da atmosféra da Terra, criando condições indispensáveis à vida. A principal missão do JUNO é: qual é a razão que na Terra apareceu a vida e não em outros planetas do nosso Sistema Solar?

Como se sabe, para o aparecimento da vida, são necessários pelo menos três ingredientes : matéria orgánica, água líquida e uma fonte de energia, como é o caso que se deu no nosso planeta.

Sabe-se que Jupter possui, principalmente, o hoxigénio e o hélio, e os Cientistas desconhecem onde começa o núcleo, e se também possue uma parte sólida. E esta é a principal missão de JUNO.

Também, o outro fim, é de analisar as mudanças climáticas de Jupter, e qual será o impacto que elas têm para a Terra.

É do nosso conhecimento, que no século XVII, foi observada pelos Cientistas, a grande mancha vermelha de Jupter, que consideram como uma tempestade que possui quase três vezes o tamanho da terrestre, e que continua constante no Jupter, desde que foi observada, há mais de 300 anos.

Até esta não conhecemos o mecanismo que faz com que uma tempestade perdure centenas de anos. Chegando a compreender o tão complexo sistema de Jupter, então poderemos compreender também o sistema climático da Terra, e isto nos ajudaria a prever com certa precisão dos ciclones e dos furacões, ressalta a Senhora Ocampo. A Senhora Ocampo deixa-nos saber que o campo magnético é tao forte que se fosse maior, Jupter teria sido uma estrela, e não um planeta, e o nosso sistema solar então seria binário, ou seja, teria dois Sóis.

Após a chegada do JUNO ao Jupter em 2016, JUNO fará 33 voltas na Órbita de Jupter, para ver se conseguirá responder as perguntads acima citadas. E, segundo a senhora Ocampo, haverá muitas e muitas descobertas que os Cientistas nem sequer esperavam.

Sinceramente sou, O PUPILO DAS MUSAS.

Laisser un commentaire